PROBLEMAS DE ESTRUTURA MARCAM A VOLTA ÀS AULAS

Em visita a Escola Primitiva do Barro, o Simpere testemunhou uma situação vergonhosa. As professoras estão inconformados com o ambiente de trabalho.

Na unidade, as salas estão fechadas e sem ar condicionado. Nos dias de calor, o ambiente fica insuportável e os alunos passam mal devido à alta temperatura. Várias salas estão com infiltrações por todos os lados e bastante mofo, especialmente a sala para crianças com 5 anos. Um completo absurdo.

Em junho o secretário de Educação, Bernardo d’Almeida visitou a escola e prometeu fazer o serviço de imediato. Estamos em agosto e a situação só piora.

Diante do descaso, sindicato e comunidade escolar vão se articular parar fazer cobranças efetivas à prefeitura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 + catorze =